quinta-feira, 22 de junho de 2017

AESM-RIO festeja 15 anos de fundação ao som de samba e valsa.


 A diretoria da Associação das Escolas de Samba Mirins do Rio de Janeiro, dirigentes das agremiações filiadas, sambistas e personalidades ligadas ao carnaval estarão reunidos na próxima segunda-feira, 26 de junho - a partir das 18h e 30 min na quadra da escola de samba Estácio de Sá para comemorar os 15 anos de fundação da entidade responsável por organizar os desfiles do Grupo Mirim no Sambódromo. Após o cerimonial ...o momento que terá maior destaque, será o casal d de mestre-sala e porta-bandeira da AESM Pablo e Anna Clara e demais casais dançando valsa e em seguida estarão bailando com seus pavilhões ao som do Hino da AESM-Rio. Homenagens especiais serão feitas aos fundadores, diretores, profissionais e representantes de entidades parceiras do samba mirim, além de algumas surpresas.

-Trata-se de uma ocasião especial. São 15 anos de criação da entidade. E por ter tido um início muito atribulado e duvidoso, não por parte dos sambistas, diretores, fundadores e militantes, mas sim, dos líderes de outras entidades e órgãos governamentais ligados ao carnaval, julgo ser importante estarmos reunidos e recebermos os amigos e parceiros para celebrarmos essa marca. Serão momentos de muita emoção – ressaltou o presidente Edson Marinho.

 Uma das atrações do evento que será restrito apenas aos convidados, será o cantor Jorge Caetano que apenas com voz e violão estará interpretando clássicos da MPB e grandes sucessos do samba. Em seguida um jantar será servido e o encerramento da noite festiva ficará por conta do sorteio que definirá a ordem de desfile para o carnaval 2018.
 
 
Fonte: Arleson Pereira Rezende
 

The Art of The Brick Village Mall - Lego é Arte em exposição


Oi pessoal! Olha a novidade que está voltando pro Rio de Janeiro – A Exposição The Art of The Brick (blocos de Lego). Se você perdeu a última ou quer ver de novo, essa é a oportunidade! Não perca!
Siga–nos no Instagram e acompanhe todas as novidades. @riocomcriancas
Depois de ser visitada por mais de 330 mil pessoas em São Paulo, Rio de Janeiro, no Museu Histórico Nacional, e em Brasília, a exposição The Art of the Brick® retorna ao Rio de Janeiro com o apoio do Shopping Village Mall na Barra da Tijuca.

A exposição é única no mundo, com oitenta e três esculturas impressionantes em um novo gênero: obras de arte excepcionais, em ambientes simplesmente de tirar o fôlego, criadas com mais de um milhão de blocos LEGO®. Atendendo a pedidos do público carioca, a mostra está de volta ao Rio de Janeiro, em novo endereço: no Shopping Village Mall, na Barra da Tijuca onde as originais e surpreendentes esculturas estarão montadas
Sejam reais ou imaginários, os personagens e objetos criados pelo artista Nathan Sawaya são surpreendentes e deixam os visitantes completamente sem palavras. Esta exposição itinerante é uma das mais extraordinárias e inovadoras das últimas décadas, impactando pessoas de todas as idades.

A Exposição
The Art of the Brick® foi lançada em abril de 2007 na cidade norte-americana de Lancaster, na Pensilvânia. Desde então, a exposição já ocupou mais de 80 museus e espaços nas principais cidades norte-americanas, e também foi vista em países como Bélgica, Irlanda, China, Israel, Singapura, França, África do Sul, Austrália, Suíça, Espanha e Rússia visitada por mais de dez milhões de pessoas e celebrada pela imprensa de todo o mundo com adjetivos como “notável” e “contagiante”. “Não perca”, sentenciou o New York Post em sua resenha, por ocasião do lançamento da exposição em Nova York.

Criada pelo artista plástico norte-americano Nathan Sawaya, celebrada pela CNN norte-americana como “obrigatória” (“One of the Top 10 Must See Global Exhibitions”), a exposição chega à Barra da Tijuca em uma realização da Ring Produções Culturais.

Entre as mais impressionantes e inesperadas criações em 3D, The Art of the Brick® apresenta reconstruções  de obras de arte universalmente conhecidas, como “O Pensador”, de Rodin, a “Vênus de Milo”, “O Grito”, de Edvard Munch – em que as mãos e cabeça explodem para uma terceira dimensão – e “O Beijo”, de Gustav Klimt.Em outras áreas, o visitante encontra-se cara a cara com um Buda ou esculturas enormes, como o impressionante esqueleto de T-Rex de 6 metros de comprimento feito com 80.020 blocos. Outros trabalhos são novas criações da imaginação do artista, como uma nadadora azul ou um homem amarelo que abre o peito para revelar um tesouro de tijolos LEGO®, além de figuras humanas e outras esculturas surpreendentes.

Como parte da exposição, uma área para brincar e construir peças com os tijolos coloridos será montada, onde crianças grandes e pequenas poderão participar de atividades lúdicas com recreadores.

Mais informações:
De 21 de junho a 06 de agosto
De quarta a domingo das 13h às 21h
Ingressos: R$20,00 (inteira)  R$10,00 (meia)
Vendas no site Tudus

Fonte: www.riocomcrianças.com.br

terça-feira, 20 de junho de 2017

Benefícios em Brincar com Papelão

Oi Pessoal! Vamos falar de brincadeiras lúdicas e criativas para crianças? Nos tempos de hoje em que as crianças passam horas no celular, tablet e outros tipos de eletrônicos, muitas famílias esquecem de apresentar formas de brincadeiras que estimulam a criatividade das crianças. Já experimentou dar uma caixa de papelão para uma criança? Infinitas possibilidades podem acontecer.
Lembro bem de que quando eu era criança, eu gostava dos brinquedos grandes. Não pelo brinquedo em si, a graça era brincar com a caixa de papelão. Eu tinha várias e delas criava várias outras brincadeiras. Hoje, isso se repete com a Camille. Ela adora inventar brincadeiras a partir do papelão. Ela já fez casinha de boneca, cama, celular, microfone e até um tablet. Tudo com papelão! A brincadeira é tão legal, que as vezes as amiguinhas dela pedem para ela ensinar como faz.
É claro que para criar alguma coisa a partir do papelão, é necessário materiais extras como cola, tesoura, canetinha, barbante, fita adesiva e tudo o que a imaginação permitir. E vale todos os tipos de papelão. Sabe aquele papelão que vem no papel higiênico e papel toalha? Pode virar um microfone. A caixa de sapatos se transforma em uma caminha de boneca ou em um carrinho. Uma caixa grande vira uma casinha ou uma máquina de lavar e por aí vai.
4 Benefícios em brincar com papelão:
  • Estimula a imaginação;
  • Promove consciência ecológica pelo ato de reciclar materiais;
  • Estimula a coordenação motora;
  • Desenvolve habilidades de raciocínio lógico.
Para quem quer brincar com um papelão já “pronto” e no formato da brincadeira, pode comprar na loja Eu Amo Papelão. Lá tem vários modelos e é só a criança montar e se divertir. Os nossos leitores possuem 15% de desconto em toda loja. É só usar o cupom RIOCOMCRIANCAS.
Veja alguns modelos:
 Fogão tamanho grande:
 Castelo grande: As meninas irão se sentir princesas e os meninos príncipes nesse castelo lindo
 Casa tamanho grande:  Essa casinha é incrível e a criança pode customizar


Carro grande: Vai uma voltinha?

 Foguete grande: Que tal brincar de astronauta?

Cama de boneca: Essa cama é linda e fica ótima customizada

Modelos Destaque, Pinte e Monte em tamanho pequeno: Esses modelo são práticos e pequenos Dá pra levar para vários lugares.
E aí? Gostaram dessas dicas? Vamos logo começar a incentivar as crianças.
E clique aqui para comprar na loja Amo Papelão. E para garantir os 15% de desconto, não se esqueça de usar o cupom RIOCOMCRIANCAS.😉

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Trilha Morro da Urca com Crianças

Há tempos eu queria fazer a Trilha até o Morro da Urca, onde fica a 2ª estação do Bondinho para o Pão de Açúcar. Sempre ficava com receio de ir, pois não sabia se seria legal com crianças. E para minha surpresa, é ótima para toda a família e para todas as idades.


A trilha começa na Pista Cláudio Coutinho, bem colada à Praia Vermelha. São 900m até chegarmos ao destino.

A trilha é toda sinalizada e não há nenhum risco de se perder. São 5 passos até chegar e as placas vão indicando em qual passo estamos.

O início da trilha é um pouco mais cansativa, pois há muitos degraus para subir. Eu indico que faça a trilha com calma e vá parando para descansar. Sempre respeitando seus limites e o da criança.

Pelo caminho, você encontra muitos miquinhos. São fofos demais e o ideal é que você só tire fotos. Não de alimentos, principalmente coisas industrializadas. Também não é recomendável tocá-los.

São cerca de 40 minutos de subida, contando as paradas para descanso.

A trilha leva até a 2ª estação do Bondinho. A entrada é gratuita e você só vai pagar se decidir descer de bondinho ou se quiser ir até a última estação (Pão de Açúcar).

Lá de cima, temos uma vista incrível de várias partes do Rio de Janeiro. É de tirar o fôlego!

No Morro da Urca há restaurante, lanchonete, loja de souvenires, banheiros, bebedouros e até um pequeno espaço com uma exposição.

Vale muito a pena fazer essa trilha e ter o contato com a natureza. Super recomendo para crianças. Nós fomos com um grupo com várias idades. Tinha até bebê de colo e foi super tranquilo.

Dica:
  • Hidrate-se durante todo o percurso;
  • Alimente-se bem antes de iniciar a trilha;
  • Use tênis confortável e roupas leves;
  • Não faça a trilha em dias de chuva, ou um dia após grandes chuvas;
  • Não destrua a natureza e curta a paisagem.
A descida foi mais rápida e fizemos em 20 minutos. Como sugestão, acho que vale a pena finalizar esse passeio com um bom banho de mar na Praia Vermelha.

domingo, 21 de maio de 2017

Alô criançada!

Entre na aba da Portelamor Kids em nosso site e divirta-se com os joguinhos e outros: quebra-cabeças; jogo da velha; tetris e outros.
O futuro começa agora!

terça-feira, 16 de maio de 2017

Confira a Sinopse da Mangueira do Amanhã para o Carnaval 2018

By Marquês da Folia

Salve! Salve!

“Campina Grande, o maior São João do Mundo”

 “Oxênti”, na locomotiva forrozeira a Mangueira do Amanhã vai embarcar com destino a minha Paraíba. Logo ali entre a capital e o sertão no agreste está a “Rainha da Borborema” a Campina Grande… Sagrado torrão. Terra do trabalho da mão forte e do suor, do cordel de Manoel Monteiro sua literatura majestosa e a xilogravura sem igual.  O sol que “alumia” o dia no arraial São Luiz Gonzaga no sitio São João, o sertanejo caipira a quadrilha sendo formada vai chegando gente que não cabe mais.  Vai ter casamento na roça. Santo Antônio faz a alegria das moças que querem casar!!!
Na Vila da Rainha a festa está armada no coreto os forrozeiros afinam o tarol a sanfona e o pandeiro. Aqui vai ter muito baião!!! Para gurizada arretada não se zangar, tem brincadeiras até o dia clarear… burreatas para começar, corrida de boi e de jegue, de saco, tem pau de sebo, pescaria e não adianta reclamar, nas barracas tem doce de não acabar. Tem arte no barro, tem jarro e tem cangaceiro, o couro dá o calçado para o moço se arrastar e a chita dá vestido bonito para moça usar.
A noite chega… E a lua cheia de brilho… E o céu se enfeita de estrelas para o dia de São João,  balões coloridos e a brisa a cair são as bênçãos de São Pedro a chegar. Acende a fogueira que aquece o coração pula a fogueira para o pedido alcançar!!! A quadrilha marca a festa como manda a tradição, no terreiro as luzes acesas anunciam a multidão, bandeirinhas em cores mil para enfeitar e alegrar o coração. E de lascar o arretado forrozeiro, que arrasta o pé o tempo inteiro.
O São João vamos festejar…
É carnaval, é hora do forró sambar…
Minha gente não se espante com a nossa criançada…
Nosso morro também tem forró, zabumbada e sanfonada
Hoje o encontro e infinito de beleza
A Mangueira do Amanhã vai homenagear o maior
São João do mundo e sua grandeza.
P.S: … São João Abençoai está vossa casa e fazei que aqui floresçam todas as virtudes que praticastes em vida… Amém

sábado, 18 de março de 2017

Escolas mirins desfilam no Sambódromo com apoio de sambistas que brilham no Grupo Especial

Redação Carnavalesco

Na tarde desta terça-feira foi o dia das crianças desfilarem na Marquês de Sapucaí. Diante de um bom público nas arquibancadas e frisas, a Miúdas do Cabuçu foi a primeira escola a entrar na avenida. A agremiação pediu a benção aos orixás e homenagearam Machine, o síndico do Sambódromo e um dos idealizadores do carnaval mirim. A jovem bateria e o carro de som composto por Richard e João Victor.
Logo após, foi a vez da Tijuquinha do Borel desfilar na tarde de terça com o enredo do carnaval anterior da sua escola- mãe, Unidos da Tijuca “Semeando sorrisos, a Tijuca festeja o solo sagrado” destacando-se pelo belo conjunto alegórico e de fantasias.
Animada, a Inocentes da Caprichosos levantou a Sapucaí com a apresentação casal Arthur Duhan e Gabriela Duhan. E a empolgação dos seus pequenos componentes. A Golfinhos do Rio de Janeiro foi a terceira escola a pisar na avenida com o enredo sobre o produtor Teteu José. A Corações Unidos do CIEP trouxe solidariedade e comoção fazendo homenagem às vítimas do acidente aéreo do time da Chapecoense no fim do ano passado. Destaque para o lançamento balões brancos em um de seus setores.
Com pinta de gente grande, a Ainda Existem Crianças na Vila Kennedy apresentou belas fantasias, principalmente a do primeiro casal auxiliado pelo mestre-sala da Ilha, Philipe Lemos.
– Fico muito feliz de ver as crianças mantendo a nossa tradição, nossa cultura acesa. Primeira vez que venho apresentando o primeiro Casal, fiquei meio tímido, meio sem jeito, mas muito feliz – disse o mestre-sala.
Já na metade da ordem, foi a vez do Império do Futuro abrilhantar a noite. A agremiação de Madureira, exaltou as glórias da sua escola mãe Império Serrano, um fazendo um desfile orgulhoso e seguro, destaque para comunicação de frente bastante sincronizada.
Após a Império do Futuro, a vez foi de Oswaldo Cruz e Madureira darem o tom com o desfile da Filhos da Águia. Com o samba na ponta da língua e bela ala de passistas, a escola animados as arquibancadas da Sapucaí na noite de terça, emocionando o presidente da Portela, Luís Carlos Magalhães. Ele comentou da importância de incentivar o desfile mirim.

– Isso é uma preocupação que todas as escolas deveriam ter: formação de lideranças. O carnaval tá sofrendo “ataques” de outras culturas o que é natural numa sociedade múltipla, globalizada. Isso é mais do que comum. Não é mais aquela festa de filhos e netos de escravos que tinham uma característica própria. Então, carnaval é apenas mais um desses grupos, mais uma dessas tribos. Então, tem que formar lideranças muito fortes para resistir e conviver com todas essas culturas que estão vindo por aí. 
Escola mirim da Baixada, a Pimpolhos da Grande Rio, trouxe para o desfile de 2017 o enredo “100 anos de samba, Pimpolhos de bamba!” Do carnavalesco Clebson Prastes. O samba da Pimpolhos foi cantado por Ruan Paiva que foi acompanhado pela bateria sob o comando de Fabrício Machado de Lima (Mestre Fafá) que veio com a fantasia de Ogans. O casal de Mestre-Sala e Porta Bandeira Felipe Vianna e Taciana Couto veio com a fantasia bate tambor, que representava os ibejis, crianças em Iorubá. Como destaque do desfile, a Comissão de Frente foi bastante aplaudida. Quem estava presente no Sambódromo era o casal de coreógrafos da comissão de frente da Grande Rio, Rodrigo Negri e Priscilla Motta. Segundo Rodrigo, eles foram ao desfile para prestigiar Camila Soares presidente da escola. Para Rodrigo, o trabalho realizado pelas escolas mirins é fundamental para quem sabe um dia estas crianças defenderem a Grande Rio. 
– É maravilhoso. Isto é investir no talento. Tem muita gente super talentosa que poder ser Mestre-Sala, Porta-Bandeira, diretor de bateria e sair na comissão de frente.
A próxima escola mirim que se apresentou foi a Mangueira do Amanhã. A Verde e Rosa que trouxe como tema “A Bahia de ioiô e de iaiá e Carlinhos Brown” elaborado por Bruno Faria. A bateria veio vestida de Timbaleiros. O casal da Mangueira do Amanhã, Matheus e Vitória vieram com a roupa Festas Juninas. O samba foi cantado por Dowglas Diniz. Como destaque do desfile o segundo carro “Tabuleiro da baiana”, que jogou para o público presente nas frisas doces e bolas. A ala “Festa de Iemanjá veio coreografada. O presidente da Mangueira, Francisco de Carvalho, o Chiquinho da Mangueira, acompanhou o desfile. Para ele, o trabalho com as escolas mirins é uma forma de preservar a cultura.
 – Quantos ritmistas, passistas, já saíram da Mangueira do Amanhã para a Mangueira grande? Isso é o futuro do carnaval – acrescentou o presidente.
A Estrelinha da Mocidade trouxe o enredo “Alice no País da Estrela-guia” dos carnavalescos Edson Pereira e Flavio Magalhães. O samba foi cantado por Millena Wainner. Dentre os cantores auxiliares estão Vandinho Pires e Vandrey Pires, filhos do cantor oficial da Mocidade Wander Pires. O casal da Estrelinha foi Jackson e Tamires que vestiu a fantasia ‘Sonhos de Criança”. A bateria de mestre Paulinho veio vestida de ‘Chapeleiro maluco’ como destaque o segundo casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira apresentado pelo segundo mestre-sala da Mocidade Jeferson Pereira Oliveira, o Jefinho. Quem estava presente no desfile da Estrelinha foi o diretor de carnaval da Mocidade Marquinho Marino.
– Precisamos ter uma renovação. Muitos componentes já saíram da Estrelinha para a escola mãe. Ainda segundo o diretor, se faz preciso ter a manutenção das escolas mirins para que as crianças não percam o desejo de estar ali. Se não tiver a manutenção disto, a tendência é que as crianças percam o interesse. As escolas mirins têm um trabalho social importante.
Os Aprendizes do Salgueiro trouxeram para o desfile o tema “Salgueiro Apresenta – O Rio no Cinema” assim como a Academia do Samba fez em 2011. O enredo foi desenvolvido por: Renato Lage e Paulo Henrique Caetano. O cantor oficial foi Pablo Andrade, que foi acompanhado por Leonardo Bessa. A bateria foi comandada por Marco Antônio Júnior, filho de mestre Marcão, diretor da Furiosa bateria. Como destaque, os componentes mirins cantaram bastante o samba de 2011. Ao final do desfile, Leonardo Bessa contou ao site CARNAVALESCO, que o trabalho da escola mirim é necessário para a manutenção do samba e na formação do Salgueiro.
– A manutenção da escola é fundamental. Eu saí da escola mirim do Salgueiro, mestre Marcão também. Tem todo um trabalho na quadra aonde ensinamos todos os fundamentos visando o futuro da escola.

A Petizes da Penha contou “Sorria você está sendo filmado”; dos carnavalescos Diangelo Fernandes e Felipe Pereira. Samba foi composto por Leozinho Nunes e estava ao lado do carro de som. Destaque para o segundo casal de Mestre-Sala e Porta-Bandeira, Arthur e Dafyny, de apenas 07 anos. Para Leozinho Nunes, que já foi da Petizes da Penha, as crianças são o futuro do samba.
– Estou aqui para passar a mensagem a eles que passei por aqui e hoje estou no Grupo Especial. Amanhã, eles podem estar também.
A herdeiros da Vila trouxe como tema “Sou Mestre Trambique, músico e compositor. Vou lhe mostrar o samba!”, do carnavalesco Sidiney Rocha. O samba foi cantado por Yanick Mazzony e Mayara Morena que teve o acompanhamento de Igor Sorriso, cantor da Vila Isabel. Samba muito bem executado pelo carro de som e a bateria de mestre Luiz Cândido, que não economizou nas bossas. A ala das baianas fez uma homenagem a Tia Ciata. Após o desfie, o site CARNAVALESCO conversou com Igor Sorriso a respeito do trabalho realizado pelas escolas mirins.

– Importância total. O samba que a gente faz hoje, se não deixarmos legado, se não incentivar os mais novos. Amanhã acaba. Muita gente veio de escola mirim. Eu venho de escola mirim. Fiquei 4 anos nos Aprendizes do Salgueiro. Na escola de samba, a criança está convivendo com a sociedade. Elas terão uma boa base. Aqui a criança está inclusa. Vive com música, cultura – finalizou o intérprete da Vila Isabel.
Penúltima escola a desfilar a Nova Geração Estácio de Sá levou para a avenida o enredo “Na cadência do samba, vem Joel Toledo de Araújo, ou Xangô do Estácio, embaixador do Morro de São Carlos”, realizado por Oziene Furtado. O samba da escola mirim do São Carlos foi cantado por Tatiane Carvalho. O primeiro casal da escola foi formado por Iago Dionisio e Poliana Vieira e desfilou com a fantasia ‘É carnaval…Alegria!! Que representou Pierrot e Colombina. Destaque para a comissão de frente que representou situações do cotidiano.
Última escola a desfilar a Infantes do Lins mostrou como tema “Chico Spinosa em cena” que contou a trajetória do carnavalesco que assinou o carnaval da Estácio de Sá no carnaval de 2017. O enredo da Infantes foi desenvolvido por Eduardo Minnuci. O carro de som foi comandado por Bruno Rezende. Como destaque, a ala 17 lembrou o carnaval de 2016 de Chico na Estácio quando a escola do morro de São Carlos fez uma homenagem a São Jorge.
Fonte: www.carnavalesco.com.br