segunda-feira, 16 de julho de 2012

Herdeiros da Vila reviverá Kizomba na Sapucaí.

Na carona do sucesso que a Vila Isabel obteve ao cantar Angola no desfile de 2012, a Herdeiros da Vila, escola mirim da azul e branca de Noel, homenageará em 2013, os 25 anos do enredo "Kizomba, festa da raça", que marcou não só a história da agremiação , como a história do carnaval carioca.

A escolha pelo enredo celebra também o aniversário da agremiação mirim, que foi fundada no mesmo ano do desfile épico da azul e branco. Celeiro de bambas como o intérpete Tinga, a escola mirim deixará a responsabilidade de entoar um dos mais bonitos sambas-enredo da agremiação, nas vozes de Rafael Tinguinha, filho do íntérprete oficial da escola, e Vivian. Tinguinha, que ainda nem era nascido no ano do desfile que marcou época, confessa que está bastante ansioso.

- Eu sempre canto com meu pai o samba na quadra e também nos ensaios, pois esse é um dos esquentas da Vila. Soube há poucos dias dessa novidade e estou bastante ansioso porque vai ser a primeira vez que vou levar o samba sozinho, do meu jeito de cantar, declara o jovem intérprete, de apenas 17 anos.

O enredo será desenvolvido por uma comissão de carnaval composta por Alex Varela, Ana Cláudia Colatino Barreto, Junior Schall, Julio César Cerqueira e Rita de Cássia.

- A ideia é render homenagem ao grande samba de 1988, aproveitando o gancho do enredo sobre Angola, que apresentamos este ano, declara o carnavalesco da Herdeiros, Júlio César Cerqueira.

A escola mirim do bairro de Noel arrematou em 2012,  os prêmios Corujito e Olhômetro de melhor bateria, conjunto alegórico e melhor rainha de bateria, Mell Cristine.


GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA MIRIM HERDEIROS DA VILA
CARNAVAL 2013
TÍTULO DO ENREDO: VAMOS REVIVER KIZOMBA – FESTA DA RAÇA!!!
SINOPSE DO ENREDO

Salve foliões mirins da Herdeiros da Vila!!! Mais um carnaval está à vista!!! Vamos reviver um momento nostálgico da nossa Agremiação mãe.
Vamos entrar no túnel do tempo e regressar ao ano de 1988, ano de comemoração do centenário da Abolição da Escravidão em nosso país.
Nenhum de vocês era nascido!!! Por isso, devemos todos reviver o momento histórico da Vila Isabel na passarela do Samba, quando arrebatou o seu primeiro campeonato, com um enredo que se inseria no âmbito de tal referida comemoração.
Kizomba – a Festa da Raça, enredo do cantor e compositor Martinho da Vila, foi um daqueles momentos mágicos, inesquecíveis!!! A Vila não tinha luxo nem riqueza, mas tinha simplicidade, humildade e muito samba no pé.
Mas, vocês sabem o que é Kizomba?
Kizomba é uma palavra do Kimbundo, uma das línguas da República Popular de Angola.
O termo significa encontro de pessoas que se identificam numa festa de confraternização.
Do ritual da Kizomba fazem parte o canto, a dança, a comida, a bebida, além de conversações em reuniões e palestras que objetivam a meditação sobre problemas comuns.
A nossa kizomba conclama uma meditação sobre a influência da cultura negra no Brasil.
África!!! Oh, poderosa África!!! Lugar de encanto e magia, razão do meu cantar!!!
África, terra habitada por gente de cor de pele escura, guerreiros, e por animais selvagens, belos e exóticos!!! Zebras, guepardos, palancas, girafas, gazelas, pássaros, entre tantos outros!!!
Vindo de além mar, o europeu chegou!!! E lá encontrou um riqueza: o braço do negro para trabalhar nas terras das suas conquistas da América!!!
Viva a Rainha Njinga, a primeira a lutar contra a invasão do homem branco!!!
Mas, os portugueses eram fortes, valentes e queriam dominar, escravizar!!! Derrubaram Njinga, e começaram a fazer o infame comércio a funcionar!!!
Dos portos de Luanda e Benguela saíam rebanhos volumosos de negros!!! 
Para cá eles vieram, nos navios negreiros!!! O Valongo era o local de desembarque!!!
Trouxeram a sua cultura!!! O seu canto, a sua dança, os seus rituais!!! Trouxeram esse batuque gostoso que não pode jamais parar!!!
Lutaram, resistiram!!! Organizaram Quilombos!!! Viva a Zumbi dos Palmares!!!
Conseguiram a sua libertação!!! Viva a Isabel!!
Viva a “pequena África do Rio de Janeiro”!!! Viva às tias baianas, que vendiam os seus quitutes, e professavam as religiões negras!!!
Viva a Deixa Falar!!!
Mas, é hora de refletir!!! Conseguiram a sua liberdade!!! Os negros deixaram de ser escravos e passaram a ser homens livres. Se tornaram cidadãos?!
A luta por um lugar na sociedade brasileira, lugar de dignidade, ainda é uma conquista a ser concretizada!!! Os negros deixaram as senzalas da casa grande, mas foram morar nas “favelas”, nos cortiços, nos guetos, nos bairros pobres!!!
É certo que muitos já alçaram fama!!! Viva aos negros Reis e Rainhas como Pelé, Piná, Martinho, e tantos e tantos outros que perpetuam a memória e afirmam a cultura negra!!!
Mas, ainda é uma minoria!!! Por isso, foliões mirins, passaos vinte cinco anos de Kizomba - Festa da Raça, é hora de reviver e refletir sobre o papel do negro na sociedade brasileira!!!
Valeu Zumbi!!!

fonte.:SambaNews

Nenhum comentário:

Postar um comentário