quarta-feira, 27 de maio de 2020

“Em Casa com AquaRio” mostra os bastidores do maior aquário marinho da América do Sul

Uma novidade para os pequenos amantes da vida marinha: o AquaRio – Aquário Marinho do Rio de Janeiro está com o projeto “Em Casa com AquaRio” em que mostra seus bastidores em lives semanais, misturando conhecimento sobre a vida marinha, curiosidades e fala sobre o dia a dia de sua equipe de Biologia.


As lives acontecem no canal do AquaRio no YouTube.



Na próxima quinta-feira, dia 28, o gerente técnico e biólogo marinho, Rafael Franco, vai falar sobre os peixes-palhaços (o Nemo, personagem da animação tão querida dos pequenos), da importância da relação dessa espécie com as Anêmonas, curiosidades sobre esses animais incríveis e responder as perguntas do público.


No mesmo dia vai rolar, também, a primeira transmissão pela câmera instalada nesse tanque e o lançamento do desafio “Procurando Inscritos”, para estimular o público a ficar atento às novidades do canal.

PROGRAMAÇÃO DAS LIVES DO AQUARIO – MAIO E JUNHO

28/05 – 8h-11h – Interações entre os Peixes-palhaço e as anêmonas. Lançamento do desafio “Procurando Inscritos” e da câmera nesse tanque

03/06 – 14h – Peixes do Indo Pacífico
05/06 – 16h – Alimentação no grande tanque oceânico
09/06 – 16h – Cultivo de água-viva
11/06 – 14h – Sistema de Suporte à vida
16/06 – 16h – Museu do Surf
18/06 – 14h – Condicionamento animal
23/06 – 14h – Fragmentação de corais


Para participar e receber as notificações de novidades do projeto “Em Casa com AquaRio”, basta acessar e se inscrever no canal do AquaRio no YouTube: https://youtu.be/95uZGHHKChM.


Siga a hashtag #1001roteirinhosEmCasa no Twitter e Facebook do @1001roteirinhos e fique por dentro das nossas dicas para o fim de semana da garotada!


Fonte: www.1001roteirinhos.com.br


Crianças em casa: 10 atividades para fazer com os pequenos na quarentena

Período pode servir para reforçar laços familiares com atividades lúdicas


Quem tem filhos sabe que o confinamento pode ser ainda mais cruel para as crianças do que com os adultos. Acostumados a gastar energia em passeios no parque, na escola ou mesmo nos brinquedos do condomínio, os pequenos ficam estressados depois de longos períodos sem sair de casa. Nem por isso o resguardo contra o coronavírus precisa ser um martírio. Para especialistas, a quarentena pode ser uma oportunidade para pais e filhos realizarem mais atividades juntos.


– É um momento em que estão muitos próximos e podem aproveitar para fortalecer vínculos familiares. Tem muita gente compartilhando brincadeiras, atividades e desafios para fazer em grupo nas redes sociais. Os pais podem se utilizar delas para pegar ideias – diz a pedagoga Gabriele Bonotto da Silva.

 

O equilíbrio entre lazer e rotina ser preservado. Manter horários para dormir, acordar e estudar ajuda a tranquilizar as crianças, além de serem aliados na manutenção da convivência em casa, que, para muitos, tornou-se também escritório nas últimas semanas. Para aplacar o tédio no tempo livre, listamos algumas atividades fáceis, econômicas e divertidas que podem ser feitas durante o período.

 

1. Cozinhar em família

Levar as crianças para a cozinha é uma boa oportunidade de integrá-las às atividades da casa. Os pequenos podem ajudar quebrando ovos para um bolo ou até pondo a mão na massa para fazer biscoitos, pães e pizzas. Preparar uma salada de frutas, por exemplo, pode ser bom para que descubram novos sabores e consumam alimentos saudáveis.

 

2. Montar acampamento

Improvisar um acampamento com cabanas de lençol na sala e almofadas pelo chão pode gerar entretenimento por bastante tempo. Para melhorar a brincadeira, faça um piquenique com toalha colorida, frutas e biscoitos.


3. Cultivar plantas e hortaliças

O confinamento pode ser um bom momento para começar a cultivar uma planta ou um tempero. Crianças adoram mexer com a terra, e ter uma plantinha ensina sobre cuidado, além de ser uma oportunidade de acompanhar o ciclo de vida de um vegetal. Quem mora em apartamento pode montar uma pequena horta na varanda ou na área de serviço, por exemplo.


4. Fazer bolinhas de sabão

Uma brincadeira simples que sempre agrada são as bolinhas de sabão. Dá para preparar a mistura em casa, com água e detergente, e confeccionar moldes com arame ou barbante para brincar na varanda, no pátio ou até mesmo na janela. Na internet também há receitas caseiras de slime, massinha de modelar e tinta. São coisas que os pequenos adoram e estimulam a criatividade.


5. Inventar um brinquedo

No universo infantil, qualquer objeto pode se tornar um brinquedo. Papéis, rolos de papel higiênico, retalhos de tecido, garrafas pet, tampas e caixas podem ser reaproveitados e ganhar outro significado nas mãos das crianças, tornando-se um carrinho, um robô ou uma cabana. Estimule.


6. Ouvir histórias

Crie um momento do dia para a contação de histórias. Se a leitura em voz alta não for a sua praia, busque no YouTube canais de contadores de histórias e assista com seus filhos. Além dos livros, você pode narrar aventuras da sua própria infância, lembrando de fatos divertidos.


7. Viajar pelo mundo

Hoje é possível conhecer museus no mundo inteiro com o auxílio da tecnologia. Basta uma busca rápida na internet para achar dezenas de locais que oferecem visitas virtuais e explorar os acervos gratuitamente sem sair de casa.


8. Chamadas de vídeos

A dimensão social é muito importante para as crianças, que estão acostumadas a conviver com seus pares, seja na escola ou no condomínio. Promova encontros virtuais com colegas e familiares mais próximos sempre que for possível.


9. Jogos e filmes antigos

Aproveite o momento para apresentar aos seus filhos filmes, seriados e brincadeiras da sua infância – sempre respeitando a faixa etária, é claro. Jogos como cinco marias, amarelinha e stop são bons para passar o tempo. Lembre-se que, para eles, a vida menos tecnológica é algo incomum e desperta a curiosidade. Mostre vídeos e álbuns de fotografia antigos.


10. Meditação

A meditação estimula a respiração de forma correta e a concentração. E dá para começar com pequenas doses. Proponha ao seu filho ficar em silêncio por um minuto prestando atenção aos barulhos externos, e depois converse sobre o que ele ouviu. Outra forma é pedir para que a criança faça algumas respirações profundas para perceber a vibração do próprio coração.


Fonte: www.gauchazh.clicrbs.com.br/